Cinema

Ansel Elgort e Edgar Wright revelam curiosidades de “Baby Driver”

Intérprete de Baby revela que teve que escutar trilha sonora do filme desde 2014
Ansel Elgort e Edgar Wright
Ansel Elgort e Edgar Wright falam com imprensa brasileira (Foto: Thais França/ Fama VIP Online)

Ansel Elgort, ator conhecido pelo papel de Augustus Waters em “A Culpa é das Estrelas”, e o diretor Edgar Wright, participaram de uma coletiva de imprensa para o lançamento de “Em Ritmo de Fuga” (Baby Driver), no Brasil, na manhã desta segunda-feira (24), em São Paulo.

Com um clima muito descontraído desde que desembarcaram na capital paulista na noite do último sábado (22), os dois falaram com jornalistas presente no evento e conversaram com a coluna sobre o longa, que tem estreia definida para 27 de julho nos cinemas.

Protagonista e diretor do filme, Ansel e Wright falaram sobre as tecnicalidades de fazer um filme onde a música tem um papel tão importante e histórias engraçadas do set de filmagem.

“Edgar queria que eu ficasse familiar com a música, tanto que mesmo se eu não escutasse, estava sempre no topo do meu iTunes”, disse Elgort sobre a trilha sonora que vem escutando desde 2014.

Ansel Elgort e Edgar Wright
Ansel Elgort e Edgar Wright em lançamento de Baby Driver no Brasil (Foto: Thais França/ Fama VIP Online)

O interprete de Baby contou que sentiu medo de fazer cenas com Jamie Foxx e que sempre tinha que aumentar o volume de seus fones para se concentrar nas sequências. “O personagem dele é o mais engraçado e assustador de todo filme”, contou ele, sobre o membro impulsivo e violento do grupo de Doc

Edgar Wright, revelou curiosidades de filmes que vieram antes de “Baby Driver” e ressaltou que suas produções sempre são feitas com o coração. “Os meus filmes anteriores como Todo Mundo Quase Morto e Scott Pilgrim, fizeram mais sucesso em países de língua inglesa porque têm um diálogo muito denso, este é o meu filme com maior número de estreias ao redor do mundo justamente pelo roteiro mais simples”.

Sobre historias engraçadas do set, Edgar contou como acabou acidentalmente na sequência final do filme. “A minha participação é por meio de um reflexo,os efeitos especiais tiveram que transformar o monitor que eu estava segurando em um iPhone.”

Colaborou: Thais França, em São Paulo