Colunas Crônicas K

O dia que o Brasil todo (nem todo assim) parou

Qual sua opinião sobre a greve geral no Brasil?
"Crônicas K": O dia que o Brasil todo (nem todo assim) parou
Greve 1917 (Foto: Divulgação)

Será que as pessoas sabem para que serve uma greve? Porque uma greve geral bem organizada é capaz de mudar muitos rumos dentro de uma nação, assim como mudou anos atrás na história do Brasil, onde mulheres lutaram em prol de seus direitos trabalhistas (e olha que durou 30 dias).

Na semana passada, ao tentarmos novamente lutar contra a reforma da previdência que quer diminuir a idade da aposentadoria entre outros absurdos, adivinha… certos brasileiros não aguentaram ficar sequer um dia de greve, porque realmente não entendem ou não querem entender que o colaborativismo é necessário para a mudança desse país. Não entendem que a mudança não funciona se apenas região X ou Y parar, mas sim, se o país todo unir as mãos e lutar.

É triste quando um brasileiro não lê o mínimo sobre seus direitos, e depois fala que a greve geral é uma “palhaçada”, “babaquice”, mas com certeza será o primeiro a reclamar quando chegar, se chegar, aos 65 anos e ainda não tiver recebido aposentadoria.

Não é com violência ou com vandalismo que se resolvem as coisas, mas é com lutas pacíficas, com o livre arbítrio pra falar e protestar a favor da humanidade e da igualdade. De fato, a greve de 100 anos atrás causou mortes, não deu resultado de imediato, mas depois teve efeito, com a entrada de Getúlio Vargas.

Percebem? O problemas às vezes está só na hora de escolher o voto, porque mais errado que o governo desse país, só a gente mesmo que acha que um só voto não tem poder, mas pelo contrário, a mudança ocorre quando você pensa num todo e faz uma boa escolha, aquela que vai ajudar e defender os direitos do PAÍS e não só OS SEUS.

 

*Karla Sthéfany é jornalista e fotógrafa do Fama VIP Online. “Crônicas K” são quinzenais e as quintas-feiras.