Colunas Crônicas K

O sabor do mérito de algo feito todo por você

O sabor do mérito de algo feito todo por você
"Me recuso a ser “mais ou menos” ou “tanto faz”, não sejam mais um".
O sabor do mérito de algo feito todo por você
O valor de um trabalho duro (Foto: Divulgação)

Sabe aquela sensação gostosa de trabalho bem feito, ou quando você recebe elogios ou nota alta por isso, e o melhor, saber que o mérito foi todo seu? Pois é, não tem nada melhor do que ralar pra fazer uma coisa e no final ver que valeu a pena.

Me chateia o fato de algumas pessoas não perceberem que mais vale o seu esforço em trabalhar em algo do que fazer de qualquer jeito, pagar pra alguém fazer seu trabalho ou ser aquele “famoso encosto”. Capacidade todo mundo tem de fazer algo brilhante, mas tem que se aperceber disso.

Como alguns sabem, vida de universitário nem sempre é fácil, porque a gente acaba tendo que fazer muitos trabalhos em equipe e isso requer saber trabalhar em grupo, onde sempre tem aquele que quer fazer tudo e aquele que não faz nada, daí acaba gerando sempre uma confusão.

Recentemente eu fiz meu trabalho de conclusão de curso, e optei por fazer sozinha justamente porque eu não queria ter dor de cabeça com ninguém, tendo que fazer algo tão importante na minha vida e que vai valer pela minha carreira toda. Fiz tudo que eu pude, dei meu melhor e alcancei um nota muito boa. Foram noites sem dormir? Sim. Abneguei de várias coisas por causa desse trabalho? Sim, mas posso dizer que valeu a pena, porque sei que aquela nota que meus queridos professores me deram, foi totalmente por merecimento meu.

Mas aí, depois que tudo passou e eu relaxei, soube que muitos colegas sequer se deram ao trabalho de fazer esse projeto tão importante, não quebraram a cabeça como eu nem perderam dias e noites se dedicando a isso, apenas pagaram outra pessoa pra fazerem SEUS trabalhos, e tirarem uma nota máxima que nem são SUAS. Ou apenas se contentaram com a nota mínima, assim como devem se contentar com tudo em suas vidas.

Meu objetivo aqui hoje não foi dizer o que é certo ou errado, porque isso vale da consciência de cada um, mas que deitar a cabeça no travesseiro no final do dia e dizer: “Uau, tudo que conquistei hoje foi porque EU FIZ SÓ”, não tem sensação melhor. É como tomar um picolé de frutas no calor ou comer uma sobremesa no jantar. Me recuso a ser “mais ou menos” ou “tanto faz”, não sejam mais um.

 

*Karla Sthéfany é jornalista e fotógrafa do Fama VIP Online. “Crônicas K” são quinzenais e as quintas-feiras.

download free wordpress themes