Colunas Crônicas K

Rock e o tabu dos nossos avós

Rock e o tabu dos nossos avós
Hoje dia 13 de julho é o Dia Nacional do Rock

Rock e o tabu dos nossos avós
Dia Nacional do Rock (Foto: Divulgação)
Não sei se acontece com muita gente ainda, porque os mais velhos gostam de nos surpreender de vez em quando, mas a história que vou contar hoje é sobre minha avó, que é mais uma senhora que acredita que “rock é do capeta”.

Hoje ela me questionou se eu tinha “entrado pro mundo do rock” e eu fiquei sem saber o que responder, afinal, desde que me conheço por gente gosto de ouvir rock (assim como outros gêneros musicais, até tecnobrega, nunca neguei), e foi assim que tentei explicar a ela que rock é um gênero musical, mas não adiantou muito.

Não contente com minha resposta, ela falou que “rock era uma coisa ruim”, e eu rebati, tentando ao máximo não ser ignorante, explicando que nem todos os roqueiros são ruins, assim como nem todo mundo que vai a igreja é gente do bem. Ela ficou calada, analisando minha resposta, penso eu que concordando em partes, mas nossa família é assim mesmo, não arreda o pé do que acredita.

Mas a conversa estava tão intrigante, que eu resolvi continuar. Perguntei se o questionamento dela era por causa das minhas tatuagens, e ela fez uma cara de “ué você tem tatuagem? Não lembrava…”, mas no fim disse que não era bem isso, não soube o que dizer e se calou. Também fiquei sem saber o que falar e fiquei refletindo depois que não importa quanto tempo passe, quantas décadas venham ou quantas músicas e bandas apareçam, o rock sempre será polêmico e rotulado por escuridão, tatuagens e capeta por alguns que talvez nunca tiveram a chance de conhecer a história tão linda e fabulosa por trás do rock.

Depois que contei meu relato a outra pessoa, ela me disse que talvez minha avó me questionou de surpresa por me ver um pouco diferente da última vez que me viu, pois não costumamos nos ver muitos por causa da distância. Foi aí que pensei: “Cabelo azul, roupa preta -até a meia- e piercing, claro que ela iria rotular de primeira.” Mal sabe minha querida avó que tem dias que uso calça rosa com blusa amarela e escuto Banda Uó.

 

*Karla Sthéfany é jornalista e fotógrafa do Fama VIP Online. “Crônicas K” são quinzenais e as quintas-feiras.