Analisando o Sistema Colunas

Um mês e Ano para não se esquecer na história da Rede Globo

Big Brother Brasil 17
Escândalos impactaram a sociedade
José Mayer
Casos de machismo ganharam repercussão e movimento (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Abril e 2017, poderiam trazer muitas coisas significativas para a Rede Globo. Por se tratar do mês de seu aniversário, o canal realmente teve algo significativo a ser comemorado. Mais uma vez desmanchou as muralhas existentes e abraçou ao público, a opinião pública, e principalmente: a luta feminina contra o assédio.

Vivemos em um país de origem machista.  O machismo é camuflado das formas mais eficientes possível. Desde salários desiguais a até salários menores para mulheres com cargo de chefia. Do escândalo envolvendo a José Mayer às polêmicas do casal Marcos Harter e a vencedora da 17ª edição do “Big Brother Brasil“, Emilly.

Enquanto no reality foi necessária intervenção policial para abrirem o leque, na do ator foi escancarado, por ter se tratado de uma denúncia feita por uma colega de equipe. E o mais assombroso de tudo. Outras pessoas do meio já dizem ter passado pelo problema. A emissora foi errada em ter demorado para agir no caso do programa? Claro. Mas antes tarde do que nunca.

Várias artistas do meio artístico e de dentro da própria emissora, mostraram sua solidariedade e energia na luta contra o machismo. É algo para ser louvado. Estamos dando nossos passos rumo a algo maior e mais interessante. O bem estar das pessoas vale muito mais do que somente ascensão profissional e números de audiência. Essa é a grande lição tirada de tantos fatos tristes.

Retirando-se essas defeituosas cicatrizes presentes na cultura, o canal avança para algo maior. Busca dentro de si mesmo, os delineares essenciais de uma era sem preconceitos.

 

*As opiniões expressas neste texto são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.